loader image

Voltar

logo-thumbnail-wepress-club-teste2

Meu.Shopping

Breve perfil institucional:

Plataforma meu.shopping turbina poder de fogo do e-commerce

O advento da pandemia C-19 sacudiu o mundo a partir de março de 2020. Nunca, em tão pouco tempo, houve tantas mudanças. Brusca e profundamente, a humanidade precisou se reinventar. Todas as atividades foram impactadas.

Entre elas, o binômio relacionado a comprar e vender. Inteligência artificial, algoritmos inusitados, Internet das Coisas (IoT), abordagens disruptivas estão presentes na tecnologia das plataformas digitais, pilotadas por jovens de todas as idades. Uma parte crescente da economia é alimentada pela tecnologia de mercado online.

Para ajudar pessoas e pequenos empreendedores a vender produtos e serviços, com base no conceito de marketplace, meu.shopping criou um ecossistema poderoso. E acessível.

Marketplaces por toda parte

Exemplos não faltam. Pessoas e empresas vendem produtos no Mercado Livre ou na Amazon; alugam propriedades no Airbnb; prestadores de serviços investem recursos no Uber ou no Hotmart.

Em todos esses casos, os marketplaces online pertencem a empresas gigantes, que não promovem o encontro de vendedores com sua própria comunidade. Tudo se dá no âmbito da mais absoluta impessoalidade.

A nova economia que a plataforma meu.shopping viabiliza é mais pessoal e sustentável. Muitas vezes, integrantes da equipe interagem diretamente com empreendedores individuais. Eis aí diferencial relevante, em relação às grandes empresas sem rosto.

Economia colaborativa

Marcelo de Castro, 39, CEO do meu.shopping, formação acadêmica consistente e larga experiência em banking, não economiza manifestações de otimismo. “Acreditamos que a economia colaborativa será a próxima grande revolução. Nós queremos, por meio do meu.shopping, alimentar, apoiar e ser referência nesse processo”, assegura.

Cabe lembrar que a criação de um e-commerce já foi tarefa cara e demorada. Era necessário contratar desenvolvedores que passaram meses construindo um e-commerce, antes de lançar uma primeira versão. No entanto, a proposta do meu.shopping, na essência, deixa para trás toda essa dificuldade, a baixo custo.

Diferenciais meu.shopping

1 – Oferece solução inovadora para criação de marketplaces, sem necessidade de investimento inicial.

2 – Criação e configuração feitas em alguns minutos. Depois, basta gerenciar vendedores, produtos, pedidos e comissões.

3 – Não é preciso saber uma única linha de código, nem fazer investimentos em times de desenvolvedores.

4 – Além dos meios de pagamento tradicionais, cliente tem opção de pagar em Pix e via conta digital meu.shopping .

5 – Plataforma pensada para ser acessível a pessoa comum, sem conhecimento sobre design ou programação.

O pulo do gato

O conceito de marketplace não é novo. E no Brasil, o início da sua implementação deu-se em 2012. Por meio da plataforma meu.shopping, lojas diversas podem anunciar seus produtos e oferecer ao cliente um leque de opções. Nesse contexto,  ressalte-se os benefícios para o outro lado dos usuários da plataforma: os vendedores (lojistas).

A conectividade da plataforma permite que estes multipliquem seus canais de venda digitais sem custo adicional, a cada novo canal. Vantagem: esses canais são muito mais focados na comunidade consumidora dos seus produtos e serviços.

Multiplicadores

Exemplo: uma marca de produtos orgânicos e naturais, ao criar a sua loja no meu.shopping, pode ter os mesmos produtos expostos, simultaneamente, em múltiplos marketplaces de nicho orgânico e natural criados por influenciadores veganos, nutricionistas, atletas amadores e entusiastas do assunto. Apenas gerem estoque, recebem e liquidam os pedidos – todos em uma só conta, no meu.shopping.

Isso tende a gerar espiral positiva para o aumento da curadoria e nicho no e-commerce. Uma vez a pré-existência de produtos de nicho, em outros marketplaces criados no meu.shopping, o fato facilita a criação dos próximos canais de venda por “autoridades no assunto” , influenciadores regionais, entre outros.

Conta favorável

Um pequeno vendedor ou vendedor de nicho tem uma alternativa aos grandes marketplaces, que cobram altas comissões pelo grande trafego consolidado (“25 de marços da internet”). Isso, ao colocar seus produtos simultaneamente em múltiplos canais de venda especializados. Significa trocar um canal de venda com um milhão de visitas mensais por 1.000 canais de venda com 1.000 visitas mensais qualificadas.

“Adicionalmente, para os criadores de marketplace, a facilidade de criar seu canal de venda por custo baixíssimo. Gera um business, ao oferecer produtos com sua curadoria para a sua comunidade”, conclui Marcelo de Castro, CEO do meu.shopping.

 

favicon-wepress-club

Porta voz

Marcelo de Castro

Marcelo de Castro, 39, é o CEO da marca meu.shopping –plataforma de marketplace detentora de contas digitais nativas. Ferramenta permite conexão entre lojistas e múltiplos canais de venda, simultaneamente.

Para criar a plataforma meu.shopping, combinou paixão por inovação e tecnologia. E a experiência de 15 anos em tesouraria de grandes bancos no Brasil e Europa.

É bacharel em administração de empresas pela Fundação Armando Álvares Penteado – FAAP, São Paulo. Possui certificado como Chartered Financial Analyst  pela CFA Institute e MBA com especialização em Engenharia Financeira, pela Escola Politécnica (USP).

Contato

Jornalista Responsável: Luiz Henrique Miranda

Telefone: 11 – 99658-8766

E-mail: lhmiranda@agenciaamigo.com.br

Site da Assessoria: wepress.club

Site fonte: meu.shopping 

Galeria de Imagens

Conteúdos Editoriais

Web Press Kit (WPK) gerado pelo sistema We Press Club.

Junte-se à primeira assessoria de imprensa voltada para startups

Entre em contato com o nosso time comercial: 34 98829 9434